Estes são os alimentos que prejudicam seu estado de ânimo

Na última década tornou-se moda para um movimento gastronômico conhecido como ‘mood food’ ou, dito em português, ‘a cozinha da felicidade‘. Segundo os defensores desta corrente culinária, existem alguns alimentos que, se consumidos em excesso, podem alterar de forma considerável ou prejudicar o nosso estado de ânimo. Gostaria de saber quais são?

Segundo revelam alguns especialistas em nutrição, alterações de humor ou problemas em nosso estado de ânimo podem estar influenciados, em grande medida, por forma a que o nosso organismo processa certos alimentos.

Algumas reações típicas do corpo humano em frente à ingestão de certos nutrientes são, por exemplo: a descida do nível de açúcar no sangue, o mau funcionamento do sistema imunológico, o aumento do ácido láctico, prisão de ventre, ou as intolerâncias e alergias a certos alimentos.

Todos estes processos podem acabar afetando o nosso estado geral de ânimo, especialmente, quando submetemos nosso corpo a dietas pouco equilibradas ou que comprometem, de certo modo, os processos biológicos naturais de nosso corpo.

Se você proposto melhorar o seu humor através da alimentação, tomar boa nota de alimentos cujo consumo deve evitar:

Bebidas excitantes

As bebidas que contêm um alto índice de cafeína afetam de forma geral a todo o organismo, especialmente para as funções que compreendem o sistema nervoso central. Tanto o chá como o café ou bebidas energéticas contêm açúcar e aditivos químicos que podem causar ansiedade, falta de concentração, depressão ou irritabilidade, se forem consumidos em excesso.

Gorduras saturadas

Os alimentos processados ricos em gorduras saturadas também são inimigos declarados de nosso estado de ânimo. Entre os mais destacados estão, por exemplo, as batatas fritas, hambúrgueres, pizzas ultracongeladas.

Alimentos altamente açucarados

Além disso, os alimentos que contêm altos níveis de açúcar podem causar uma dupla reação em nosso organismo:

  • Por um lado, nos dão energia imediatamente após sua ingestão.
  • Por outro lado, a longo prazo, esses alimentos causam alterações no nível de glicose no sangue e provocam flutuações no nosso estado geral de ânimo. Estes alimentos são, por exemplo, os doces, as bebidas altamente açucaradas, sobremesas industriais e produtos de pastelaria.

Álcool

Cervejas veganas

As bebidas alcoólicas também são responsáveis por alterações em nosso estado de ânimo. E é que todas elas contêm substâncias que estimulam o sistema nervoso central e movimentando-se de forma artificial, o nosso organismo provocando, entre outras reações, nervosismo, insônia, ansiedade ou mudanças constantes de humor.

Adoçantes

Se é fiel seguidor de produtos ‘light’ tens de ter em conta que, embora sejam estes são produtos adequados em dietas de emagrecimento, o consumo excessivo pode provocarnos mudanças em nosso estado de ânimo. E é que, muitos estudos científicos têm demonstrado que, alguns adoçantes, como o aspartame, podem causar ansiedade e estresse. Foi demonstrado que o consumo excessivo de este tipo de adoçante, acaba afetando de forma geral, as nossas glândulas supra-renais, que estão diretamente relacionadas com o nível de estresse em nosso corpo.

Portanto, se queremos melhorar o nosso estado de ânimo e decidimos começar por regular a nossa alimentação, é imprescindível evitar, na medida do possível, as bebidas alcoólicas, excesso de bebidas que contenham cafeína, produtos altamente açúcar e gorduras trans, que contêm os produtos altamente processados.

Seguir uma dieta equilibrada e rica em todos os tipos de nutrientes vai sentir-se mais saudável e, por conseguinte, terá também um ótimo humor.

Estes são os alimentos que nos ajudam a obter cálcio

O cálcio e a vitamina D são nutrientes essenciais para construir um sistema ósseo forte e evitar, desta forma, a ocorrência de doenças e de outras doenças relacionadas com os ossos. A partir de uma determinada idade, e especialmente as mulheres, sofrem um processo de descalcificação importante no organismo provocado, muitas vezes, pela intervenção de hormônios. A deficiência de cálcio pode provocar doenças como a osteoporose ou a artrose, especialmente em pessoas acima dos 50 anos de idade, e em mulheres que tiveram menopausa.

Por tudo isso, é fundamental que ao longo de nossa juventude e, em geral, durante toda a nossa vida, o nosso corpo se faça com boas reservas de cálcio nos construir ossos mais fortes.

pathdoc || Shutterstock

No processo de fixação de cálcio, as vitaminas que desempenham um papel essencial são as do grupo D e grupo K. Por este motivo, é muito frequente que as crianças recém-nascidas tomem suplementos de vitamina D durante os primeiros seis meses de vida. Ainda assim, há que se destacar que a capacidade que tem o corpo humano para absorver o cálcio é limitada, pois o máximo que você pode utilizar são cerca de 500 mg por cada uma das refeições do dia.

Embora o cálcio pode obter através de suplementos alimentares, a melhor forma de conseguir isso é através da alimentação. E, neste sentido, os alimentos lácteos, são o grupo de alimentos que mais cálcio nos dão, incluindo neste grupo, alimentos como o queijo, o leite e os iogurtes, principalmente.

alexpro9500 || Shutterstock

Como já indicado anteriormente, os alimentos mais ricos em cálcio são aqueles que têm uma base de laticínios, como leite, iogurte ou queijo. No entanto, também existem outros alimentos que não sejam provenientes do leite, ajudam-nos a aumentar os nossos níveis de cálcio no organismo:

  • No grupo de alimentos vegetais destacam-se, por exemplo, espinafre que se consomem crus ajudam a cerca de 200 mg de cálcio por cada 100 gramas de produto. No caso de prepará-las cozidas, o aporte de cálcio reduz em torno de 25%.

Por que comer espinafre

Ekaterina Kondratova || Shutterstock

  • Por outro lado, a couve ou repolho crespo, é também um alimento rico em cálcio, pois dá-nos cerca de 150 mg de cálcio por cada 100 gramas de produto. Neste sentido, o cálcio da couve é melhor absorvido do que o que contêm os espinafres, já que esta planta não contém oxalatos, e os espinafres sim os contêm.

ORLIO || Shutterstock

  • Usar cebola como base principal de muitos de nossos pratos, ajudar-nos-á também a aumentar as reservas de cálcio no organismo. E é que esta hortaliça é rica em oligoelementos e minerais, especialmente cálcio.

cebola utilizações

Alena Haurylik || Shutterstock

  • Outros vegetais que contêm quantidades significativas de cálcio são os agrião, brócolis, acelga, os grelos ou o cardo, entre muitas outras.

Elena Elisseeva || Shutterstock

  • Quanto à carne, embora não se trata de uma categoria de alimento que nos fornecer uma grande quantidade de cálcio, há que se destacar que a carne de bovino, acima de tudo, é a que mais quantidades deste mineral pode nos proporcionar. Neste sentido, as mais destacadas são a carne de segunda e terceira categoria, a costeleta de vitela, carne de vaca semi-gordura e o añojo de vitela.

vitela benefícios

Jarvna || Shutterstock

  • Outro conjunto de alimentos que são muito bons aliados na hora de obter o cálcio que precisamos são, sem dúvida, as leguminosas. Nesta categoria destacam-se acima das demais, a soja, o feijão branco e o grão de bico, entre outras.

Estes são os 6 melhores alimentos para evitar a anemia

A anemia é um distúrbio caracterizado pela diminuição do número ou do tamanho dos nossos glóbulos vermelhos. Por conseguinte, um dos principais sintomas é o cansaço corporal e um constante estado de fadiga, que nos impede de levar a cabo a nossa actividade diária normal.

A doença costuma afetar com maior freqüência a todas aquelas pessoas que não têm uma alimentação saudável e equilibrada e, especialmente, para os que seguem uma dieta pobre em ferro. Também as mulheres em idade fértil, grávidas, crianças ou pessoas que sofrem de doenças crônicas, são a população mais propensa a sofrer de anemia.

A alimentação é um fator-chave para prevenir a anemia, por isso, antes de tomar qualquer tipo de suplemento alimentar, é conveniente iniciar uma dieta rica em alimentos que contenham ferro. Estes são os melhores alimentos contra a anemia:

1. Espinafre

Os legumes de folha verde em geral, e os espinafres em particular, são um dos melhores remédios para prevenir a doença através da alimentação. Por cada 100 gramas de espinafre, estamos consumindo em torno de 2,7 mg de ferro, mas, além disso, esta verdura é também rica em vitamina A, vitamina B9, vitamina C e beta-caroteno. Os especialistas em nutrição recomendam consumir meia xícara de espinafre por dia para combater a anemia, pois dela se extrai, em torno de 20% do ferro que precisamos para manter um ótimo estado de saúde. Outros vegetais, como o brócolis, alface ou agrião também são uma esplêndida fonte deste mineral.

Mais razões por que devemos comer espinafre

Por que comer espinafre

Ekaterina Kondratova || Shutterstock

2. O marisco

Se queremos combater a doença de forma eficaz, não é conveniente esperar para o Natal ou qualquer outra data marcada para comer marisco. E é que este alimento de origem marinha, é especialmente rico em minerais como o ferro, o fósforo ou o iodo. São Principalmente os moluscos, com casca, os que mais contêm ferro, como é o caso do mexilhão (100 gramas contêm 4,5 gramas de ferro) as amêijoas (100 gramas contém 28 mg de ferro) ou os berbigões (por 100 gramas obtemos 16,2 mg de ferro).

Outros benefícios importantes do marisco

Artur Begel || Shutterstock

3. O tomilho

Também há uma diversidade de especiarias ricas em ferro, mas, talvez, a mais destacada é o tomilho. 100 gramas da erva contêm em torno de 123 mg de ferro, o que o torna uma aliada fundamental na hora de combater a anemia. Por isso, é recomendável aumentar o tomilho muitos de nossos pratos como o arroz, as carnes ou peixes. Ou também é uma boa opção preparar uma infusão de tomilho cada noite antes de ir dormir.

4. A aveia

Muitos cereais contêm também um alto aporte de ferro e um dos mais destacados é, precisamente, a aveia. Se tomamos duas colheres de sopa de aveia cada dia,estaremos contribuindo para o nosso organismo cerca de 4,5 mg de ferro. Recomenda-se também a farinha de aveia se, além de ferro, queremos aumentar a ingestão de vitaminas do grupo B.

O que mais nos dá de comer aveia?

flocos de aveia benefícios

Amnarj Tanongrattana || Shutterstock

5. O ovo

Além da proteína, o ovo é também uma fonte destacada de ferro. Comer um ovo por dia dá-nos até 1 mg de ferro, além de muitas proteínas que se traduzem em energia para combater os estados de anemia, astenia e cansaço.

Outras propriedades interessantes do ovo

6. As leguminosas

Desde outrora as leguminosas têm sido considerados uma importante fonte de ferro. De fato, as pessoas mais velhas costumam recorrer a lentilha e grão-de-bico como uma fonte natural de obtenção deste mineral. Uma xícara de lentilhas nos dá em torno de 5 mg de ferro, e uma de grão-de-bico, supera os 6 mg de ferro.

Alimentos saudáveis para cuidar de nosso corpo

A seguir, apresentamos alimentos saudáveis para incorporar na dieta ou alimentação diária com o fim de cuidar de nossa saúde, comer bem e ter uma vida mais saudável.

Nos ajuda no controle de peso e diminui a maneira em que absorvemos as gorduras dos alimentos. Da mesma forma, colabora na queima de gordura que se vai mantendo em nosso organismo.

Permite dar um sabor a diferentes preparações e também nos ajuda a reduzir o apetite.

Este alimento contém altos níveis de vitamina C, mais até do que em laranjas ou limões. É antioxidante e também acelera o metabolismo, permitindo queimar gordura de forma mais rápida.

A quinoa fornece antioxidantes e vários nutrientes como ferro, zinco e vitamina E. Uma xícara de este alimento nos fornece cerca de 5 gramas de fibra, além de uma elevada quantidade de proteínas. Para consumi-la, eu podia ir acompanhada de frutos secos, legumes e carnes sem gordura.

Sua composição, principalmente, é de 90% de água. É um aporte para as dietas, já que colabora com as propriedades de emagrecimento do ácido cítrico. É recomendado para pessoas que sofrem de anemia, melhora da constipação e no controle do colesterol. Você pode incluir em saladas e ao pequeno-almoço como suco natural.

6. A Melancia e o melão

São alimentos com grande teor de água, ajudando a uma melhor sensação de saciedade, o que nos ajuda a consumir menores quantidades de outros alimentos. O melão é antioxidante e fornece vitaminas A e C.

7. As Maçãs e Peras

Grande fonte de água como as frutas anteriores, nos ajudam a saciedade e a consumir menor quantidade de outros alimentos, também contêm pectina, o que nos beneficia a desintoxicação do corpo junto com a combater o colesterol ruim. Por um lado, as maçãs nos fornecem fibras, aminoácidos, juntamente com ser diurética e, por outro lado, a pêra entrega-nos baixos níveis de sódio e bons níveis de potássio, ferro e cálcio.

8. Uvas e passas

Nos entregam potássio e vitamina B que ajuda-nos a um melhor controle do colesterol. Serve também como desintoxicante quando queremos perder peso, a uva ajuda-nos a purificar o nosso corpo.

9. Vegetais crus

São uma opção para os momentos de desejo como pequenos lanches (refeição leve antes de um prato principal). Nos dão uma boa quantidade de água para se hidratar, para saciar a fome e , melhor ainda, são baixas em calorias. A idéia de que sejam cruas é para não perder suas fontes de vitaminas, fibras, antioxidantes e minerais. Isso se, procura limpá-las bem para evitar qualquer doença. Algumas opções: aipo, cenouras, alface, tomate, entre outros.

10. Cereal em grãos integrais (pão integral)

Para nos alimentar de forma saudável e sem calorias começa a integrar grãos integrais em sua alimentação habitual. Nós Nos beneficiamos com vitamina E, B6, magnésio, zinco e fibras. De igual forma nos colabora para não acumular muita gordura na barriga e previne algumas doenças. Começa hoje a mudar o pão, as massas (macarrão) ou massas de pizzas tradicionais por estes mesmos alimentos em versão integral.

O milagre da multiplicação dos alimentos prebióticos em nossa dieta

A estas alturas do século XXI já são muitos os que conhecem os alimentos prebióticos e os incorporaram à sua dieta de forma rotineira. No entanto, e em relação à grande quantidade de benefícios que estes trazem para nosso organismo, o consumo de prebióticos no mundo não está ainda tudo o estendido que deveria.

É conhecido por prebióticos a todos aqueles açúcares complexos, que podem ser encontradas em certos alimentos, e que favorecem a proliferação de diversas bactérias em nosso intestino. Os prebióticos podem ser encontrados em uma infinidade de alimentos não processados e resistem, sem problemas, a digestão de ácidos no estômago , bem como a sua absorção no trato intestinal.

Benefícios dos alimentos prebióticos

Milagrosos ou não, o que sim é certo é que alimentos prébioticos fornecem uma grande quantidade de benefícios para a saúde humana como, por exemplo:

  • Ajudam a diminuir os riscos de doenças cardiovasculares
  • Favorecem a absorção no intestino de vários nutrientes, como cálcio, ferro ou magnésio (as digestões são melhor aproveitadas graças a esses alimentos)
  • São potentes agentes anti-stress e a ansiedade pelos efeitos positivos que eles levam a cabo na flora intestinal
  • Ajudam a combater a obesidade, conforme demonstram diversos estudos científicos.

Mas, além de tudo isso, demonstrou-se também que os alimentos prebióticos agem como uma barreira eficaz na prevenção do câncer de cólon, pelo seu poder para modificar a atividade da micro-flora intestinal.

Piotr Marcinski || Shutterstock

Piotr Marcinski || Shutterstock

Também as pessoas que sofrem de diarreia ou problemas intestinais relacionados com suas digestões (doenças como o cólon irritável), encontrarão os prebióticos e, especialmente em inulina, uma arma eficaz para combatê-la.

Quais os alimentos que são prebióticos?

Os prebióticos estão presentes em muitos alimentos do que imaginamos. Os que mais quantidade de estes contêm açúcares são: legumes, o alho-poró, a cebola, o alho, o garanhão e a banana.

  • As alcachofras e a raiz de chicória são os dois alimentos com uma maior presença de prebióticos na sua composição. No caso das primeiras, a concentração de inulina por cada 100 gramas de alcachofra é de entre 2 e 3%. E a raiz da chicória, é o segundo alimento com a maior quantidade de prebióticos, e contém inulina, colina e taninos.
  • Também podemos encontrar uma importante carga prebiótica na farinha de trigo, especialmente quando estiver cozida, o pão, as bolachas ou biscoitos, pois contém 4,8% de prebióticos por cada 100 gramas.
  • O farelo de trigo é outro dos alimentos que possui uma quantidade notável de prebióticos, com cerca de 5% destes açúcares por cada 100 gramas de produto. Por este motivo, costuma ser um cereal muito recomendado em casos de prisão de ventre. assim como em pacientes com colesterol acima dos níveis normais, e tensão arterial alta.

alcachofra propriedades

LENA GABRILOVICH || Shutterstock

Diferenças entre os alimentos prébioticos e os probióticos

É comum confundir os alimentos prebióticos e probióticos, no entanto, estes não são o mesmo, nem exercem as mesmas funções no organismo humano.

No caso dos alimentos probióticos são microorganismos vivos que trazem benefícios para a nossa saúde quando ingeridos nas quantidades adequadas. Os alimentos com uma alta densidade de probióticos são, por exemplo: o kefir, o iogurte, o chocolate puro, o chucrute (prato preparado com couve fermentada), os pepinos em conserva, ou o chá de kombucha, entre muitos outros.

Em contrapartida, como señalábamos no início deste artigo, os prebióticos são compostos (bactérias ou leveduras) que o nosso organismo não consegue digerir, mas que também nos trazem muitos benefícios, se os incorporamos à nossa dieta diária.

Alimentos saudáveis: Estimuladores do cérebro

Quais os alimentos que estimulam o nosso cérebro?

Se ingerimos certos alimentos e os incorporamos à nossa dieta, podemos ver mudanças em nosso ânimo em geral até na agilidade para quando devemos realizar tarefas específicas. Conheça 5 alimentos saudáveis que são uma contribuição para o seu cérebro:

Água

É um dos principais alimentos que estimula nosso cérebro, já que as moléculas do cérebro humano são compostas de 80% de água, desta forma é muito importante manter uma boa hidratação e, assim, manter saudável das membranas para o processo de neurotransmissão.

Beber mais água e evitar um superaquecimento do nosso cérebro, juntamente com a de ajudar a circulação e a eliminação de toxinas. Se não consumimos a água recomendada diariamente (2 Litros em adultos), este órgão nos ocorrer fadiga e perda das funções cognitivas (funções receptiva (aprendizagem, memória, pensamento, expressões, etc.)

As Proteínas

O consumo de proteínas, podemos encontrar aminoácidos muito importantes que ajudam a estimular o nosso cérebro, o acalmam e lhe entregam energia para o seu funcionamento. As proteínas completas que podemos encontrar na carne, peixe, queijo e ovos. Por outro lado, as proteínas incompletas que só têm alguns aminoácidos, estão presentes em nozes e legumes. O consumo diário de proteínas depende de seu gênero e idade.

Vitaminas e Minerais

As vitaminas e minerais ou micronutrientes, estão presentes em diferentes alimentos ou suplementos e ajudam a estimulação do cérebro. Estes, são os encarregados de manter estável o nível de oxigênio e remover moléculas de oxigênio malignas como o são os radicais livres (partículas de elevado nível de energia e que, ao saltar danificam as células). Um nível inadequado destes elementos, esta associado a uma diminuição nas funções dos pulmões. O consumo diário dependerá de acordo com o organismo de cada pessoa.

Os Carboidratos

Os carboidratos encontramos a glicose, que é uma forma de açúcar que viaja pela corrente sanguínea estimulando a energia e alimenta o cérebro. Esta açúcar é extraído dos carboidratos como nozes, frutas, legumes, alguns amidos e grãos. É importante consumir uma dieta saudável com estes alimentos, já que as células do cérebro necessárias duas vezes mais energia do que outras células do nosso organismo.

As Gorduras

Com uma boa dieta equilibrada e incorporando alimentos como o peixe, vegetais com folhas verdes e nozes, estaremos incluindo ácidos graxos como o ômega 3, que irá estimular o nosso cérebro e permite a elaboração de células mais saudáveis. Outro ácido graxo que é importante é o ômega 6 e o que podemos encontrar nos girassóis, milho e outros óleos. Devemos consumir ácidos gordos essenciais e suficientes para que este órgão não perca habilidade cognitiva ou memória.

Alimentos para evitar as cáries

alimentos para evitar as cáriesEm geral, costumamos optar diariamente por uma dieta rica em açúcar, alimentos que não nos trazem muitos benefícios a nossa saúde, e se a isto somarmos uma má ou pouco regular higiene dental, estamos cada vez mais expostos a ter cáries.

Para evitar as cáries, juntamente com a levar uma boa higiene dental: cepillarnos os dentes depois de cada refeição principal, uso de fio dental, podemos escolher e adicionar à nossa dieta alimentos que favoreçam o cuidado de nossos dentes e, em geral, para a saúde da nossa boca.

Para ter em conta:

  • Uma escovação excessiva, pode fazer desaparecer o esmalte dos dentes.
  • Se consumir muitas frutas cítricas, pode gerar uma maior sensibilidade.
  • Um consumo regular de refrigerantes, saborizadas, efervescentes, pode ir danificando e manchando suas peças dentárias.
  • Uma dieta equilibrada, incluindo uma variedade de alimentos é benéfico para a sua saúde geral e bucal.
Alimentos que podem ajudar a prevenir as cáries
  1. Sucos: os sucos naturais sem açúcar podem ajudar-nos a eliminar e diluir ácidos que atacam os nossos dentes, além de ajuda para a limpeza da língua, tirando bactérias que podem ficar alojadas nesta. “Por não conter açúcar, as bactérias ficam sem alimento para processar”.
  2. Chá verde: de novo, sem açúcar, alguns de seus componentes podem nos ajudar na luta contra as cáries.
  3. Água: lembre-se de levar sempre com você uma garrafa de água, é boa em todos os sentidos, mas, além disso, ajuda a manter o ph da boca em equilíbrio, juntamente com uma saliva mais suave e de melhor qualidade.
  4. Frutas: são ricas em fibras, e também ao masticarlas, isso nos ajuda a tirar todas as bactérias que ficam costumam ser coladas em nossos dentes, juntamente com a equilibrar a acidez e gerar uma maior salivação humana.
  5. Legumes: se consumir a quantidade que quiser, não terá problemas. Não sobem os níveis de açúcar no sangue, nos entregam água para o nosso corpo e nos fornecem muitos nutrientes. Como exemplo, o aipo e a cenoura, por ser mais fibrosas nos ajudam a eliminar parte da placa bacteriana.
  6. Queijo: diz-se que tem uma propriedade para neutralizar os ácidos que atacam as superfícies dos dentes. Recomenda-Se comer um bocado depois de alguma refeição.

Uma dieta “anti-cárie” é baseado em uma dieta saudável, que inclua diferentes tipos de alimentos, rica em fibras, água e sempre baixa em açúcar.

Lembre-se que essas dicas devem ir acompanhados de um uso regular de fio dental, juntamente com um adequado e correto escovado.

Alimentos cancerígenos

“Segundo a Organização Mundial de Saúde, 70% dos cânceres podem ser evitados com simples mudanças na dieta e o estilo de vida.”


Alimentos e ingredientes Cancerígenos


Geralmente consumimos diariamente muitos alimentos sem ver, que tipo de ingredientes contêm estes e como podem nos afetar. Abra os olhos! É o momento em que temos que começar a nos dar conta de que é o que estamos comendo, dia-a-dia e como podemos cuidar de nossa saúde e diminuir o risco de contrair alguma doença como o câncer. É por isso que devemos começar a rever composto que contém diferentes alimentos que vamos comer e NÃO consumir os que podem ser prejudiciais para a nossa saúde.


O que estão presentes os elementos cancerígenos?


Dentro dos alimentos que podemos encontrar como ingredientes “aditivos” e produtos químicos para melhorar os sabores ou prolongar a vida ou duração do produto.


Dentro desses elementos tóxicos figura da acrilamida (o que se pode fazer ao aquecer comida (especialmente compostos que contêm amido), friéndola ou asándola a mais de 120 ºC.), é uma substância contaminante que está presente em alimentos de consumo diário, como as batatas fritas, produtos como croissants, meias-luas, pão congelado pré-cozido, de diversos tipos de farinhas e outros com alto teor de hidratos de carbono.


Lembre-se de sempre ler os rótulos para poder evitar o consumo deste tipo de ingredientes.


O Instituto Médico Europeu da Obesidade (IMEO) aconselha-se evitar os alimentos que contêm os seguintes ingredientes nos rótulos: xarope ou xarope de milho rico em frutose), açúcar, sacarose, farinha branqueada enriquecida (farinha de trigo, niacina, ferro reduzido, mononitrato de tiamina, riboflavina, ácido fólico), arroz branco, massas brancas, pão branco e outros alimentos “brancos”.


Alguns dos alimentos mais cancerígenos são:


O bacon, salame, carnes processadas:
contêm nitrito de sódio e gorduras saturadas. O nitrito de sódio é usado para fazer com que a carne pareça fresca e cor-de-rosa.


Salsichas: devido ao seu teor de nitrito de sódio, durante o processo de digestão, o nitrito de sódio se torna nitrosamina e é aí que começam os problemas com o câncer. A nitrosamina é um cancerígeno, mas como não é tecnicamente um ingrediente, sua presença pode ser facilmente passado por alto na embalagem.


Batatas fritas: bloqueiam as artérias com gordura saturada e transgênicas. Além disso, contêm acrilamidas, as quais não são adicionadas aos alimentos, mas que são criados no momento de fritar.


Bolachas, biscoitos com gotas de chocolate, biscoitos pré-elaboradas em geral: contêm farinha branca e açúcar, assim como gorduras transgênicas.


Donuts: contêm óleos hidrogenados, farinha branca, açúcar e archilamidas (alimentos submetidos a processos de cozimento ou freído).


Como o câncer precisa de um nível alto de açúcar e baixos níveis de oxigênio, uma pessoa com muita gordura em seu estômago ou barriga e que não pode deixar de comer esses biscoitos, bolos cheios de gorduras transgênicas (com muita farinha branca e açúcares simples), apresenta-se o ambiente ideal para o desenvolvimento do câncer.


Algumas dicas para agir e reduzir o risco de câncer:


  • Não come alimentos processados ou industriais, consome alimentos frescos e de origem vegetal.

  • Consome alimentos ricos em ômega 3 e outros ácidos gordos essenciais.

  • Come muitas frutas e vegetais com propriedades anti-cancerígenas (brócolis, alho, cebola, alecrim, soja, chá verde, tomate, entre outros).

  • Faça exercício regularmente, já que os tumores não podem prosperar em ambientes altamente oxigenado.

  • Mantém estáveis os níveis de açúcar no seu sangue, para não alimentar as células cancerígenas.

  • Consome alimentos como frutas ricas em Vitamina C, já que este nutriente impede a conversão do nitrito em nitrosamina e reforça o sistema imunitário.

  • Conseguir quantidades adequadas de a grande arma contra o câncer, a Vitamina D, através da exposição controlada ao sol (acima de 10 a 15 minutos cada dia, se você tem a pele clara, ou até dez vezes mais se você tem a pele escura).

  • Mantenha um bom nível de hidratação para eliminar as toxinas do nosso corpo.

  • Evite o tabaco e os cosméticos convencionais (certifique-se de que são de origem totalmente natural), já que praticamente todos contêm elementos químicos cancerígenos.

Descubra os superalimentos vegetais mais potentes para o seu organismo

As verduras e hortaliças são um pilar básico dentro de qualquer alimentação saudável. Por isso, é importante que a nossa dieta diária contar com um aporte mínimo de cerca de cinco peças de frutas e legumes, segundo recomendam os especialistas em medicina e nutrição. No entanto, estudos recentes têm confirmado que uma boa dieta pode ser ainda melhor se complementa com a ingestão de superalimentos vegetais.

Vegetais que são superalimentos

Se quiser tirar muito mais partido da sua alimentação e se certificar de que você está dando ao seu corpo tudo que precisa, não desistir dos superalimentos, pois são uma fonte inestimável de vitaminas e antioxidantes, que podem fazer-te sentir muito melhor. Toma boa nota de quais são as verduras mais potentes, e acrescenta qualquer delas à sua alimentação diária ¡você vai Notar a diferença!

Espirulina

A espirulina é uma micro-alga de tons esverdeados e azulados que se destaca, sobretudo, pelo seu elevado aporte de proteínas e outros aminoácidos essenciais para o organismo. Também é muito rica em vitaminas do grupo B, assim como em ferro, potássio e magnésio, o que é um superalimento ideal para as pessoas que sofrem de anemia de forma frequente.

Elena Schweitzer || Shutterstock

Quinoa

Um cereal repleto de propriedades que é conveniente tomar , desde a idade infantil até a adulta. A quinoa é rica em aminoácidos essenciais e traz, além disso, muito ferro. Também é um superalimento muito indicado para combater o colesterol e muito recomendado para pessoas com diabetes, devido ao seu baixo índice glicémico.

marekuliasz || Shutterstock

Maca

A macaé uma planta herbácea, que vem dos Andes peruanos. Trata-Se de um superalimento rico em proteínas, ao qual, desde outrora, se lhe são atribuídas propriedades medicinais e curativas, especialmente, para aumentar a fertilidade e tratar os casos de impotência masculina. Também é uma planta muito recomendada no tratamento das ondas de calor que produz a menopausa em mulheres.

maca peruana propriedades

Ildi Papp || Shutterstock

E o que há de superalimentos fruto?

Existem vários tipos de fruta que são catalogadas como superalimentos, e que te darão uma grande quantidade de benefícios, uma vez que você gastar pouco dinheiro.

Açaí

Trata-Se de uma planta que é cultivada na américa Latina, mas especialmente no Brasil. São muitos os benefícios que lhe são atribuídos a esta fruta, embora, talvez, o mais surpreendente, é o seu poder para prevenir alguns tipos de câncer, graças ao seu alto conteúdo em polifenóis. Além disso, outro reconhecido benefício que se lhe atribui a este tipo de baga é o seu poder para aumentar a energia e a resistência. Além disso, seu alto teor em cálcio, o convertem em um superalimento muito aconselhável para as mulheres, pois ajuda a prevenir a osteoporose.

amora-preta || Shutterstock

Citrinos

O limão ou a laranja, por exemplo, são citrinos que se destacam por seu potente efeito depurativo. Muitos nutricionistas afirmam que tomar um suco de limão espremido com água morna a cada manhã, ajuda o organismo a manter os níveis de PH necessários para manter saudável o nosso sistema imunitário. Além disso, o suco de limão em jejum tem um poderoso efeito desintoxicante que pode ajudar-nos a perder pesoe a controlar o apetite excessivo, que às vezes sofremos por parte da manhã.

citricos benefícios

bitt24 || Shutterstock

Maçã

Outra das frutas que têm a etiqueta de superalimento é a maçã, rica em fibras, água, e que também contém algumas substâncias extremamente benéficas chamadas polifenóis. Estes compostos vegetais destacam-se, sobretudo, porque nos ajudam a manter certos níveis de glicose no sangue, também favorecem a perda de peso, e o mais importante, fortalecem o nosso sistema imunológico para evitar contrair algumas doenças comuns, como resfriados e gripes.

maçã propriedades

PosiNote || Shutterstock

Além disso, a maçã é um superalimento vegetal muito saudável para os que sofrem de prisão de ventre crônica, e para aqueles que sofrem de problemas do aparelho digestivo, como refluxo, digestões pesadas ou cólon irritável.

Descubra quais são os superalimentos mais baratos

Sabemos que eles são os alimentos que contêm todos os nutrientes de que precisamos para manter um bom estado de saúde. Também nos vem à cabeça uma longa lista dos superalimentos mais populares e conhecidos, mas será que sabemos quais são os superalimentos mais baratos?

Comer de forma saudável e estar bem alimentado, não é contra ter que gastarnos muito dinheiro no carrinho de compra. Se bem que, os superalimentos mais conhecidos como as bagas de Goji, as sementes de Chia ou o alho negro, por exemplo, são superalimentos algo caros, existem muitos outros que não colocam ao limite do nosso orçamento para o carrinho de compras.

Neste caso, as leguminosas são um excelente exemplo de um superalimento muito barato. Ricas em proteínas de origem vegetal, e em minerais como o ferro, as leguminosassão uma fonte inesgotável de saúde, muito importante em qualquer dieta. Além disso, são ideais para dietas de emagrecimento, pois tem um baixo teor em gorduras e não contém nada de colesterol.

inewsfoto || Shutterstock

O alho é outro dos superalimentos acessíveis que podemos incluir na cesta semanal da compra sem prejudicar o seu bolso, pois podemos encontrá-los por menos de 40 cêntimos na mercearia ou no supermercado. Os alhosativam o nosso sistema imunológico e nos fazem ficar mais fortes frente a determinadas bactérias e vírus. Além disso, são o antibiótico perfeito quando temos um resfriado ou uma dor de garganta muito intensa. Também costumam ser recomendados para pessoas que sofrem de problemas de circulação no sangue.

alho propriedades

HandmadePictures || Shutterstock

Os amendoins são frutos secos relativamente baratos, e também ganharam a classificação de superalimentos, devido à grande quantidade de propriedades que contêm. São ricos em vitamina E e minerais como zinco, muito necessário para o cuidado diário da pele e do cabelo. Além disso, estima-se que podem chegar a reduzir em até 25% a chance de desenvolver doenças do tipo cardiovascular.

Estudos recentes levados a cabo na universidade britânica de Chester tem certificado que os legumes congelados também pertencem ao grupo dos chamados superalimentos. E é que alguns vegetais congelados, como as cenouras, as alcachofras ou os feijões verdes, que contêm mais antioxidantes que as verduras frescas, já que, através do processo de congelamento, se consegue paralisar o processo de degradação dos nutrientes que, pelo contrário, sim sofrem as verduras frescas. Por pouco menos de dois euros, poderá ganhar uma deliciosa saco essas legumes e desfrutar de seu sabor em um almoço ou jantar.

ArtCookStudio || Shutterstock

Baixos em calorias e repletos de proteínas encontramos também os ovos, um superalimento barato e acessível para qualquer bolso. Os ovos contêm nutrientes essenciais, como a vitamina D, ou da colina. Esta última ganhou fama como um importante agente que ajuda a nosso fígado a se purificarem e a eliminar as substâncias que lhe sobram. Além disso, os ovos são o alimento ideal para o pequeno almoço, porque nos dão a energia e as proteínas de que precisamos para enfrentar o resto do dia, e também são um superalimento a ter em conta na dieta das crianças.

Finalmente, e embora muita gente pense o contrário, o atum de lata é outro dos superalimentos baratos que podemos adicionar semanalmente a sua lista de compras. E é que esta conserva é rica em ácidos graxos essenciais como o Ômega 3, que ajuda a manter o mau colesterol e a manter estável o colesterol bom, ou HDL. Por pouco menos de dois euros poderá contar com três latas de atum para adicionar a cada dia para suas receitas de cozinha.